Notice: WP_Scripts::localize foi chamada incorretamente. O parâmetro $l10n deve ser um array. Para passar um dado arbitrário para os scripts, use a função wp_add_inline_script() ao invés. Leia como Depurar o WordPress para mais informações. (Esta mensagem foi adicionada na versão 5.7.0.) in /var/www/html/wp/wp-includes/functions.php on line 5535

Vontade de comer doce? Especialista indica duas plantas, um suplemento e um alimento da sua geladeira

calendar Publicação: 30/11/2021 - Última atualização: 30/11/2021
clock 1min
admin
admin

Voiced by Amazon Polly

Um dos maiores desafios para quem está buscando uma melhor alimentação é, sem dúvidas, controlar a vontade de comer um ‘docinho’; veja o que a nutricionista Lara Gabriela tem a dizer sobre o assunto

Atire a primeira pedra quem nunca teve aquela vontade — quase que insaciável — de comer um docinho. Quando estamos em busca de mudar o padrão da nossa alimentação, às vezes parece até que esse desejo se aflora.

A vontade incontrolável de comer doces tem alguns motivos já descobertos: queda no nível de glicose, resistência à insulina, ansiedade e até mesmo falta de alguns nutrientes na dieta pode ser alguns deles.

Na internet, são encontradas diversas “fórmulas” e produtos que prometem tirar essa vontade, mas será que elas realmente funcionam?

O infovital consultou a nutricionista e especialista da Jolivi Natural Health, professora Lara Gabriela Cerqueira, e ela contou quais são as alternativas naturais (e eficazes) para aliviar a vontade de comer doce.

Garcínia cambogia? 


Uma das primeiras opções naturais quando falamos de controle de peso e evitar a compulsão por doce e que surgem nas buscas do Google é a garcínia cambogia. Produtos que têm como base a planta são facilmente encontrados em farmácias de manipulação e nas convencionais por um preço acessível.

A professora Lara Gabriela confirma a eficácia da planta, mas faz um importante alerta: “A garcínia cambogia é muito indicada para o controle de peso, mas em doses altas. Entre todas as alternativas, ela tem muitos estudos comprovando a eficácia, mas, como disse, em doses altas. Só que essa dosagem pode acarretar em efeitos colaterais, como enxaqueca e desconforto gastrointestinal.”

Segundo a professora, a garcínia cambogia tem um efeito que atua nos neurotransmissores, fazendo com que a serotonina (o hormônio do bem-estar) atue por mais tempo. “Por isso tem que tomar cuidado, também, com as pessoas que fazem uso de remédios ansiolíticos. A maioria desses medicamentos são recaptadores de serotonina”, completa. 

O ideal, lembra a nutricionista, é que a garcinia seja indicada e as dosagens acompanhadas pelo médico ou nutricionista especialista em fitoterapia.

Como alternativa à garcinia, a especialista da Jolivi sugere o uso de uma planta que é igualmente eficaz para tirar aquela vontade de um docinho: a gymnema sylvestre.

Como funciona a gymnema sylvestre?

A planta é oriunda de regiões da África, Ásia e Austrália. Entre vários nomes populares da planta, um deles é “gurmar”, que vem do hindu e significa “destruidor do açúcar”. 

Apesar de não ser nativa do Brasil, ela também é facilmente encontrada a preços acessíveis nas farmácias. A Lara Gabriela destaca a versão spray.

“A gymnema em spray pode ser aplicada na língua e tem um efeito nas papilas gustativas. Ela ‘adormece’ as papilas e faz com que a vontade por doce reduza quase imediatamente”, explica.

Ela também contou outro grande benefício da planta: “É indicada para pessoas que possuem alguma resistência à insulina. A gymnema consegue ajudar o corpo a aumentar a produção insulínica. Em contraponto, pessoas que fazem tratamento de insulinoterapia devem tomar cuidado, porque ela pode potencializar demais o efeito do hormônio no corpo e desencadear uma hipoglicemia”.

Um suplemento para a vontade atrelada à glicose

Um dos suplementos conhecidos também para tratar a compulsão por doces é o picolinato de cromo. Segundo a Lara, o nutriente é eficaz para pessoas resistentes à insulina.

Isso porque o consumo da substância favorece o metabolismo de carboidratos, lipídios e gorduras, o que ajuda a evitar picos de açúcar no sangue .

Um estudo apresentado no Simpósio Internacional sobre os Efeitos do Cromo Dietético na Saúde, nos Estados Unidos, constatou, inclusive, que a suplementação do picolinato de cromo pode proporcionar um aumento significativo na sensibilidade à insulina sem mudanças na distribuição da gordura corporal.

E mais: o consumo dessa substância também pode prolongar a sensação de saciedade, diminuindo aquele apetite voraz que faz a gente engolir tudo o que vê pela frente.

Vontade de doce? Que tal comer ovo?

Como os quadros de ansiedade podem desencadear a compulsão por doces, a professora Lara Gabriela sugeriu que combater apenas a saciedade não é o mais indicado, já que não a raiz do problema não é tratada. Para os casos de ansiedade, ela diz que uma solução natural e fácil pode ajudar: o ovo.

Isso por conta de um nutriente chamado colina, que tem a sua maior concentração na gema e pode apoiar no combate à ansiedade. Um ovo de aproximadamente 100g possui 477mg de colina. A quantidade necessária por dia varia entre 450mg e 550mg.

“Por isso é comum os nutricionistas recomendarem dois ovos em uma refeição intermediária (como lanche da tarde), já que a gema do ovo é muito rica em colina. Outro ponto positivo é que não existem contraindicações para a colina, tanto na versão alimentar, quanto na suplementar”, finaliza Lara.

Colaborou: Monique Garcia

admin
admin