Por que é tão urgente falar com as mulheres sobre doenças do coração?

calendar Publicação: 13/09/2021 - Última atualização: 13/09/2021
clock 1min
Vitória Torres
Vitória Torres

Redação Infovital

Uma pesquisa recente feita nos Estados Unidos mostrou que, de 2010 pra cá, a taxa de óbitos por doença do coração em mulheres só tem aumentado

Novas evidências mostram que o tratamento e prevenção a doenças cardíacas — principalmente no que se refere a corações femininos —, também deve ter foco em mulheres antes dos 50 anos, porque o problema deixou de ser “coisa de idade”.

Análises anteriores mostravam que essa condição acometia mulheres no período da menopausa. Porém, especialistas encontraram novos fatores que contribuem para doenças cardiovasculares em mulheres jovens.

Um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, com base nos dados do Ministério da Saúde, aponta que, no Brasil, 30% das mulheres morrem de doenças cardiovasculares. Atualmente, segundo os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares já ultrapassam as estatísticas de câncer de mama e de útero.

Para o especialista da Jolivi Natural Health e cardiologista Pedro Cazzador a idade não é um quesito para problemas cardiovasculares. O especialista, que estará à frente do workshop Coração Blindado, reforça que o coração sofre as consequências daquilo que o indivíduo faz, ou seja, dos seus hábitos.

“Costumo dizer que o coração é o soldado raso nessa história do corpo, porque todo mundo manda nele. Em todas as situações de estresse ou alterações no nosso corpo, o coração é chamado para fazer alguma ação. O infarto é uma construção ao longo dos anos”, alerta o cardiologista.

A seguir, veja alguns fatores de riscos para problemas cardiovasculares em mulheres jovens e dicas que podem ajudar a proteger o coração.

1) Pico de estresse e ansiedade

Um estudo divulgado este ano no European Heart Journal — Quality of Care and Clinical Outcomes mostrou que um fator que provavelmente contribui para a tendência crescente dos índices cardiovasculares e mortalidade é que as mulheres, frequentemente, colocam as necessidades dos outros antes das suas. Muitas vezes, elas equilibram o cuidado dos filhos ou conciliam tempo de trabalho integral.

Os resultados do estudo revelaram que, embora as taxas de mortalidade por câncer em mulheres tenham diminuído progressivamente a cada ano durante o tempo analisado, as taxas de mortalidade por doenças cardíacas têm aumentado desde 2010.

O cardiologista Pedro Cazzador ressalta que as emoções têm um impacto enorme na saúde cardiovascular. E como médico, reconheceu que as pessoas adoecem primeiro pelo o que sofrem e sentem e, depois, elas sofrem pelo o que comem.

“Quando o indivíduo se depara com uma situação de estresse ou ameaça, ele se coloca na defensiva. Geralmente os músculos retraem, o coração acelera, a pressão sobe — e essa condição mantida por muito tempo irá sobrecarregar o coração. Controlar o estresse, procurar se adaptar a uma determinada situação e desenvolver técnicas para o controle dessa emoção é fundamental”, reforça o especialista da Jolivi.

A ansiedade e o estresse são dois problemas muito próximos e que às vezes aparecem juntos. Além de terapia com um psicólogo ou psicanalista, a fitoterapia oferece alternativas naturais que funcionam tão bem quanto os medicamentos e podem ajudar a melhorar o sono, a concentração e a calma.

Pesquisa mostrou que a Passiflora, folhas do pé de maracujá, tem um ação similar no tratamento de ansiedade

Um exemplo é a erva passiflora, folha do pé de maracujá. A Passiflora incarnata tem seu uso estabelecido na medicina popular e também na fitoterapia como uma forte combatente de quadros de insônia e ansiedade.

Uma pesquisa publicada no Journal of Clinical Pharmacy and Therapeutics concluiu que a passiflora tem uma ação similar aos medicamentos usados no tratamento de ansiedade generalizada. A grande vantagem da erva sobre o remédio é que ela não afeta a concentração nem a produtividade de quem a consome.

Na série mensal Plantas e Bem-Estar, a nutricionista especializada em fitoterapia Lara Gabriela, especialista da Jolivi, ensina o modo de preparo do chá para a ansiedade e também revela outras ervas medicinais. Descubra aqui.

2) Tabagismo

O cigarro é o primeiro fator de risco para doenças do coração segundo o cardiologista Pedro Cazzador

A Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta que o tabagismo mata mais de 8 milhões de pessoas por ano. Segundo o cardiologista Pedro Cazzador, o cigarro provoca inflamação dos endotélios — camadas internas das artérias — e isso acelera o processo de aterosclerose, que é a formação de placas.

“Uma das coisas que mais prejudicam o ser humano é o cigarro. E, como cardiologista, a maioria dos infartados que acompanhei que tinham menos de 40 anos eram fumantes, diabéticos, ou as duas coisas. O cigarro é uma coisa prevenível, o indivíduo fuma porque quer e, de fato, quando se tem esse hábito é difícil abandoná-lo”, explica o especialista que prepara o workshop Coração Blindado.

Além de doenças cardiovasculares, o cigarro pode causar câncer de pulmão, enfisema pulmonar, bronquite crônica, aneurismas arteriais, úlcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias, envelhecimento da pele, mau hálito, queda de resistência física e até mesmo impotência sexual.

As mulheres que possuem essa hábito durante a gestação podem sofrer o descolamento prematuro da placenta e ter hemorragias, levando a um possível aborto ou nascimento prematuro da criança. Já o bebê pode desenvolver um quadro de distúrbios de desenvolvimento motor e intelectual.

O Dr. Carlos Schlischka, especialista da Jolivi, conta que existe um método natural que pode ajudar a acabar com o tabagismo. O médico, que está à frente do Dossiê Saúde Essencial, revelou que o extrato de aveia verde selvagem é um bom aliado para esse propósito.

Um estudo publicado na revista Pharmacometrics mostrou que, assim como o cigarro, este extrato também atua na estimulação da dopamina — hormônio do prazer. No caso do tabagismo, é ela que estimula a dependência.

A análise foi feita em adultos fumantes, que receberam a suplementação de 300 mg do extrato após cada refeição. Os resultados mostraram que após 28 dias, os candidatos fumantes tiveram uma redução de 54% no número de cigarros consumidos ao dia.

No Dossiê da Saúde Essencial, o especialista da Jolivi mostra dicas para restaurar a saúde do corpo e apresenta uma lista de substâncias que fazem mal ao corpo tanto quanto consumir um cigarro.

3) Diabetes e vida sedentária

Associar o colesterol alto com doenças cardiovasculares é comum. Porém, para o doutor Pedro Cazzador, a glicose é a grande vilã da história.

“Prevenir ou baixar o colesterol à força não vai livrar ninguém de ter uma doença cardíaca ou infarto. Então, muito mais importante do que abaixar este índice é reduzir a glicose e a insulina, é fazer atividade física e ter uma alimentação adequada. Isso é muito mais importante do que o nível de colesterol”, afirma o cardiologista da Jolivi.

Um artigo publicado nos Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, sobre doenças cardiovasculares e diabetes mellitus, mostrou que indivíduos diabéticos apresentam risco de três a quatro vezes maior de evento cardiovascular e o dobro do risco de morrer disso quando comparados à população geral.

Quando se fala em carboidratos, é comum associar a massas, pães, batatas, alimentos à base de trigo. Mas os carboidratos também estão nas frutas, legumes, verduras e sementes. Em excesso no organismo, o nutriente pode levar ao quadro de diabetes tipo 2.

O médico cirurgião Naif Thadeu, especialista da Jolivi que está à frente do Protocolo Contra o Diabetes, revelou uma dieta capaz de reverter o diabetes: a dieta cetogênica.

Ela foi desenvolvida em 1924 pelo Dr. Russell Wilder, da renomada Mayo Clinic. O objetivo inicial foi o tratamento de pessoas com epilepsia. Hoje em dia, tem sido utilizada com altos índices de sucesso para o tratamento de diabetes, Alzheimer e até mesmo câncer.

Na dieta cetogênica, estima-se que a quantidade diária de carboidratos seja entre 5% e 20% das calorias ingeridas, segundo o Dr. Naif Thadeu. No programa, o médico revela a lista dos alimentos que possuem mais carboidratos e mostra seis suplementos capazes de controlar a glicemia em até três dias. Veja aqui.

O passo definitivo para evitar doenças do coração

No dia 29 de setembro é comemorado o “Dia do Coração”. Pensando nisso, a Jolivi Natural Health, empresa parceira do infovital, anunciou que irá oferecer gratuitamente o workshop Coração Blindado.

O objetivo do evento é falar sobre a saúde do coração e revelar formas naturais para ajudar nessa missão. O workshop será online e será conduzido pelo cardiologista Pedro Cazzador.

*Sob supervisão de Ana Paula de Araujo

Referências

Prevenção é fundamental para diminuir mortes por doenças cardiovasculares, inclusive em mulheres. Sociedade Brasileira de Cardiologia.
Safi U Khan, Siva H Yedlapati, Ahmad N Lone, Muhammad Shahzeb Khan, Nanette K Wenger, Karol E Watson, Martha Gulati, Allison G Hays, Erin D Michos, Uma análise comparativa de doenças cardíacas prematuras e mortalidade relacionada ao câncer em mulheres nos EUA, 1999–2018, European Heart Journal – Quality of Care and Clinical Outcomes , 2021 ;, qcaa099, https://doi.org/10.1093/ehjqcco/qcaa099
Passionflower in the treatment of generalized anxiety: a pilot double-blind randomized controlled trial with oxazepam. Journal of Clinical Pharmacy and Therapeutics. https://doi.org/10.1046/j.1365-2710.2001.00367.x
Tabagismo. Biblioteca Virtual em Saúde. Ministério da Saúde.
Quais são os riscos do tabagismo para a mulher grávida? Instituto Nacional de Câncer. Ministério da Saúde.
Doença cardiovascular em diabetes mellitus: fatores de risco clássicos e não clássicos. Artigos Originais, Revisões e Atualizações • Arq Bras Endocrinol Metab 51 (2) • Mar 2007 • https://doi.org/10.1590/S0004-27302007000200014
Tabagismo. Instituto Nacional de Câncer
Workshop Coração Blindado. Pedro Cazzador. Jolivi Natural Health.
Dossiê Saúde Essencial. Carlos Schlischka. Jolivi Natural Health.
Protocolo Contra o Diabetes. Naif Thadeu. Jolivi Natural Health.

Vitória Torres
Vitória Torres

Redação Infovital