Notice: WP_Scripts::localize foi chamada incorretamente. O parâmetro $l10n deve ser um array. Para passar um dado arbitrário para os scripts, use a função wp_add_inline_script() ao invés. Leia como Depurar o WordPress para mais informações. (Esta mensagem foi adicionada na versão 5.7.0.) in /var/www/html/wp/wp-includes/functions.php on line 5663

Chega de comer açúcar: como diminuir o consumo para fugir do diabetes

calendar Publicação: 30/08/2021 - Última atualização: 30/08/2021
clock 1min
Ana Araujo
Ana Araujo

Editora

Até o Ministério da Saúde entrou na roda para fazer o brasileiro comer menos açúcar. Como fazer sua parte e evitar o diabetes? Especialista ensina dicas práticas

Diminuir a quantidade de açúcar ingerido é uma urgência para viver bem e prevenir doenças como diabetes. Até a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o consumo de açúcar livre seja de até 10% do total de calorias diárias, sendo que reduzir para 5% traria ainda mais benefícios.

Segundo o Ministério da Saúde, o brasileiro consome 80 g de açúcar ao dia, o equivalente a 18 colheres de chá — 50% a mais do que a OMS recomenda. Considerando que todos os carboidratos contêm açúcar, inclusive os salgados, existe um grande caminho a seguir para essa redução, de fato, acontecer.

Por isso, o órgão estabeleceu um acordo com a indústria de alimentos para reduzir a ingestão de 144 mil toneladas de açúcar até 2022. 

Em um documento que o jornal Financial Times teve acesso, a Nestlé afirma que 60% dos seus alimentos jamais serão saudáveis, por mais que a empresa tente se adequar aos padrões. 

Ligando os pontos — e entendendo que a finalidade da indústria é lucrar —, é pouco provável que o açúcar seja substituído por algo saudável. 

Analisando os rótulos de alguns alimentos ultraprocessados, é possível verificar que os açúcares já estão sendo trocados pelos chamados edulcorantes, que nada mais são do que adoçantes artificiais.

Essa definição tampouco reduz os riscos à saúde. Um estudo publicado ainda este ano e conduzido pela Anglia Ruskin University (Reino Unido) aponta que os adoçantes como sacarina, sucralose e aspartame podem transformar as bactérias boas do intestino em más. Assim, elas invadiriam o sistema digestivo, podendo causar inúmeros problemas.

Diante da incerteza de como a indústria vai cumprir o acordo, o que fazer para reduzir o consumo de açúcares e evitar males como diabetes, obesidade e inflamação? 

Quero uma vida livre de diabetes sem abrir mão de comer bem

Em vez de açúcar ou adoçante, que tal colocar canela no café?

1. Fuja dos adoçantes

O Dr. Naif Thadeu, especialista da Jolivi Natural Health à frente do Protocolo Contra o Diabetes, defende que mesmo os considerados mais “saudáveis”, como o stevia, podem causar um efeito indesejado no corpo.

“Assim que a substância doce pinga na língua, o cérebro avisa o pâncreas, que começa a produzir insulina”, conta. Com o tempo, isso acaba fazendo o corpo criar certa resistência à substância — o que, no longo prazo, pode piorar o quadro de diabetes, causar obesidade e até problemas renais. 

Para não sentir tanta falta de um docinho, o Dr. Naif Thadeu ensina a incorporar a canela no café ou no “capuccino antidiabético” que ele ensina no Protocolo Contra o Diabetes, feito com leite de coco. “É melhor usar a canela em pau, já que o pó pode vir com substâncias químicas. A canela em pau pode ser moída por você em casa”, arremata.

2. Evite os alimentos ultraprocessados

Diante da crise econômica, essa tem sido a primeira opção de famílias em apuros financeiros. No entanto, essa alternativa acaba cobrando o preço por outro lado: alimentos ultraprocessados são ricos em açúcares, sem falar nos corantes, conservantes e outros aditivos químicos.

O resultado é um pico de açúcar no sangue e o pâncreas tentando correr atrás do prejuízo ao produzir grandes quantidades de insulina — o que, conforme dito no item anterior, é fator de risco para diabetes.

A boa notícia é que trocar os industrializados cheios de açúcar e edulcorantes por alimentação natural pode não ser tão caro quanto se imagina. Veja aqui uma lista de compras barata e saudável.

3. Reduza a quantidade de carboidratos ingeridos

O Dr. Naif Thadeu dá um ultimato aos seus pacientes: se o objetivo é controlar o diabetes de vez, é melhor deixar os carbos de lado e apostar na dieta cetogênica — que, segundo ele, “corta o mal pela raiz”. Inclusive carboidratos salgados. “Em questão de três dias você já pode observar a normalização da glicemia”, afirma.

Isso não é motivo para tristeza, afinal, ninguém falou que o cardápio precisa ser sem sabor ou sem graça.

“Para o diabético, é melhor aproveitar comidas salgadas boas, de alta gastronomia, para não sentir falta de comer doces e carboidratos salgados”, defende o especialista. “Apesar de parecer uma dieta restritiva, eu garanto: a cetogênica é muito saborosa e flexível.”

Um exemplo de prato delicioso e permitido pela dieta cetogênica é o torresmo. Neste cardápio, até mesmo a gordura da picanha é liberada.

Quer conhecer o caminho para se livrar do diabetes em pouco tempo? Então, conheça as recomendações do Dr. Naif Thadeu clicando aqui.

Referências

  • Naif Thadeu, Protocolo Contra o Diabetes. Jolivi Natural Health
  • WHO calls on countries to reduce sugars intake among adults and children
  • Menos açúcar para uma alimentação mais saudável. Ministério da Saúde
  • Nestlé document says majority of its food portfolio is unhealthy. Financial Times.
  • Shil, Aparna, and Havovi Chichger. “Artificial Sweeteners Negatively Regulate Pathogenic Characteristics of Two Model Gut Bacteria, E. coli and E. faecalis.” International journal of molecular sciences vol. 22,10 5228. 15 May. 2021, doi:10.3390/ijms22105228
  • Quais são as causas de hiperinsulinemia? Núcleo de Telessaúde Rio Grande do Sul | 02 jun 2011 | ID: sof-5322. BVS Atenção Primária em Saúde
Ana Araujo
Ana Araujo

Editora