Notice: WP_Scripts::localize foi chamada incorretamente. O parâmetro $l10n deve ser um array. Para passar um dado arbitrário para os scripts, use a função wp_add_inline_script() ao invés. Leia como Depurar o WordPress para mais informações. (Esta mensagem foi adicionada na versão 5.7.0.) in /var/www/html/wp/wp-includes/functions.php on line 5535

Água mineral: tem diferença?

calendar Publicação: 08/12/2021 - Última atualização: 08/12/2021
clock 1min
Fernanda Mayane
Fernanda Mayane

Redatora

Voiced by Amazon Polly

Veja o checklist para comprar uma água com os minerais na ‘medida certa’ para a sua saúde; médico lista perigos escondidos na garrafa

Você precisa comprar água e, no mercado, se depara com embalagens variadas nas prateleiras. Apesar de não termos uma infinidade de marcas disponíveis no Brasil, você provavelmente tem dúvidas sobre qual é a melhor marca para o consumo. 

Para além das marcas disponíveis, o aprendizado para escolher a melhor água mineral está nos rótulos.  São eles que indicam se aquela água é de fato de qualidade e boa o suficiente para sua saúde. 

Nem toda água mineral é igual — e principalmente naturalmente mineral. Algumas delas já carregam os minérios da sua “fonte” e outras são mineralizadas e recebem, na indústria, os elementos como sódio, potássio e cálcio — o que é permitido pela legislação. Além disso, compostos químicos que não são a melhor opção para a nossa saúde podem estar na água que você toma.

Por isso é importante saber escolher a melhor água para a sua saúde. 

Para te ajudar nessa missão, o infovital pediu algumas dicas ao médico e nutrólogo Dr. Wilson Rondó Jr., especialista da Jolivi. 

A diferença sempre está no rótulo

O que o médico explica é que, na hora de escolher a água mineral para levar para casa, é importante se atentar a alguns compostos químicos que algumas delas possuem. Afinal, o barato pode acabar saindo caro no futuro. 

O Dr. Rondó lembra que algumas águas medianas comportam substâncias químicas como dioxan, nitratos, arsênico, chumbo, cádmio e outros. Todos esses componentes tóxicos podem trazer problemas como:

  • Aumentado de câncer; 
  • danos no cérebro e no sistema nervoso; 
  • eles são suspeitos de causar danos ao desenvolvimento de crianças ou fetos; 
  • causar problemas de fertilidade, e 
  • perturbações hormonais.

De olho na embalagem: o checklist para ver os rótulos de água mineral

1. PH

Atualmente no mercado, na maioria dos rótulos você encontrará um PH entre 5 e 8. O ideal é que o PH seja acima do que temos no nosso sangue, que é entre 7,35 e 7,45. Ou seja,  se o PH da água comercializada for maior que 7,5, você já tem um item a favor da marca. 

Níveis de PH menores do que estes podem atrapalhar o nosso organismo na tarefa de anular os radicais livres — substâncias que causam doenças como o câncer.

2. Sódio

De acordo com informações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), se a água tiver mais de 200mg/L de sódio, a empresa deve avisar os consumidores em sua embalagem.

Um estudo do Imperial College de Londres acompanhou 701 mulheres asiáticas grávidas, moradoras das áreas costeiras do sudeste do continente, localidade com alta concentração de sódio na água. O que identificou é que as mulheres tiveram aumento da pressão arterial. 

3. Flúor

“Esta é uma das toxinas mais perniciosas no abastecimento. Embora o flúor não seja saudável para ninguém, as mulheres grávidas e os agregados familiares que misturam fórmulas para bebês devem ter um cuidado especial para evitar a água fluoretada, pois através da mamadeira, eles correm um risco significativo de consumir flúor em excesso”, explica o Dr. Wilson Rondó Jr.

Ele conta também que o flúor pode causar outros problemas como:

  • Comprometer a função da tireoide;
  • alterar o desenvolvimento do cérebro na infância;
  • reduzir o QI em crianças, e
  • ser um veneno que sabota a capacidade da sua mitocôndria (os nossos forninhos geradores de energia) de criar energia celular.

4. Cloro

O cloro é um componente que você deve se atentar na hora de tomar a sua água. Apesar de tecnicamente matar algumas bactérias, seus compostos podem ser nocivos para a saúde. 

“Foi comprovado que o cloro endurece as artérias, destrói proteínas no corpo, irrita a pele e os seios nasais, agrava a asma, as alergias e os problemas respiratórios. Ele também possui vários subprodutos, cada um dos quais com os seus efeitos colaterais. O clorofórmio, por exemplo, acelera o processo de envelhecimento, oxida o colesterol e causa câncer de fígado em animais de laboratório”, explica o nutrólogo.

Um estudo feito pelo Conselho de Qualidade Ambiental dos Estados Unidos afirma que “o risco de câncer entre as pessoas que bebem água clorada é 93% mais alto do que aqueles que bebem água com um teor de cloro menor”.

5. Potássio, cálcio, magnésio e iodo

Todos esses nutrientes parecem muito atrativos aos nossos olhos, certo? Porém, existe um alerta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre alguns casos para cada composto.

Pessoas hipertensas devem optar por rótulos com maiores níveis de potássio, pois o mineral possui um efeito hipotensor. Quando falamos de indivíduos com pedras nos rins, é recomendado uma opção com menores teores de cálcio e magnésio, pois essas substâncias podem auxiliar na formação ou aumento dos cálculos. 

Já pessoas com distúrbios de tireoide, é importante ficar atento em níveis de iodo, por se tratar de um composto que afeta o funcionamento da glândula. 

6. Prazo de validade

Por último, mas não menos importante: atente-se sempre aos prazos de validade. Eles são informados na embalagem e é importante segui-los, ainda mais quando falamos de compostos químicos inseridos lá dentro. 

Dicas de armazenamento

Algumas formas de armazenamento da água podem ser prejudiciais para a saúde, principalmente quando a garrafa fica muito tempo exposta ao sol. Ao ficar em exposição à luz solar, acontece a liberação de um composto químico chamado bisfenol. Este composto é totalmente nocivo para o nosso organismo. 

Outra dica é: ao comprar um galão de água na sua região, opte sempre por garrafas que apontem o envasamento em uma cidade mais próxima de sua residência. Normalmente, a água vem exposta ao sol em cima de caminhões e motos. Comprando numa loja mais próxima, você pode evitar que a água fique muito exposta ao sol. 

Referências

Scheelbeek PF, Khan AE, Mojumder S, Elliott P, Vineis P. Drinking Water Sodium and Elevated Blood Pressure of Healthy Pregnant Women in Salinity-Affected Coastal Areas. Hypertension. 2016 Aug;68(2):464-70. doi: 10.1161/HYPERTENSIONAHA.116.07743. Epub 2016 Jun 13. PMID: 27297000.

Drinking Water Source and Chlorination Byproducts in Iowa. III. Risk of Brain Cancer,” Cantor KP, et al, Am J Epidemiol, 1999; 150(6):552-560. 

Water Chlorination: Essential Process or Cancer Hazard? Bull, Richard, J., et al, Fundamental and Applied Toxicology, 1995; 28:155-166.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) 2021. 

Fernanda Mayane
Fernanda Mayane

Redatora