Notice: WP_Scripts::localize foi chamada incorretamente. O parâmetro $l10n deve ser um array. Para passar um dado arbitrário para os scripts, use a função wp_add_inline_script() ao invés. Leia como Depurar o WordPress para mais informações. (Esta mensagem foi adicionada na versão 5.7.0.) in /var/www/html/wp/wp-includes/functions.php on line 5535

Para emagrecer, você tem que parar com a dieta

calendar Publicação: 06/01/2022 - Última atualização: 06/01/2022
clock 1min
Ana Araujo
Ana Araujo

Editora

Voiced by Amazon Polly

Para emagrecer, especialmente no começo do ano, é preciso mudar de pensamento. Saiba quais são os três pensamentos que limitam seu emagrecimento

Uma das frases mais buscadas nessa época do ano, no Google, é: qual é a melhor dieta para emagrecer após as festas de Natal e Ano Novo?

Isso é compreensível: de acordo com um estudo publicado pelo New England Journal of Medicine, as pessoas realmente tendem a engordar durante as festas de final de ano.

E estes quilos extras adquiridos no curto período, notados especialmente até o fim do mês de janeiro, poderão ser observados ao longo de toda a vida.

Com base na análise de peso de 2924 voluntários de três países – Estados Unidos, Alemanha e Japão – durante 12 meses, os pesquisadores notaram que os participantes engordavam cerca de 2kg nas festas e perdiam, ao longo do ano, 1,5kg, fazendo com que o 0,5kg a mais fosse acumulado anualmente.

Então, é normal que todos estejam em busca de alguma “receita mágica” para perder peso, como se isso fosse possível.

O caminho que leva ao emagrecimento, no entanto, é repleto de erros e sabotadores. A começar por “fazer dieta”.

O que eu entendo, enquanto médico, é que dieta é algo pontual. Um sacrifício que dura um tempinho, até que possamos voltar a cometer os mesmos erros alimentares do passado…

O efeito sanfona vira um sofrimento sem fim.

Pensando nisso, resolvi elencar para você, que me lê agora, aqueles que considero os piores vilões do emagrecimento saudável:

1) Apenas contar (e cortar) calorias

Essa é uma das recomendações mais problemáticas quando o assunto é emagrecimento: corte calorias e todos os seus problemas serão resolvidos!

Temos que lembrar que o emagrecimento saudável, ou seja, aquele que acompanha a remissão e controle de doenças, não se limita a uma contagem de calorias.

É preciso levar em conta também o poder nutricional de cada alimento, ou seja, como isso pode repercutir em nossa saúde para além de 100, 200 ou 300 calorias.

Lembre-se: nem sempre um alimento reduzido em calorias, como muitos industrializados e ultraprocessados existentes no mercado, será a melhor alternativa para compor o seu cardápio.

Uma carne muito bem temperada, preparada na manteiga ghee ou no óleo de coco, por exemplo, será mais calórica do que o “sanduíche natural light” à venda no supermercado.

Porém, estamos falando de calorias nutritivas, e não vazias, como as do sanduíche. Assim, a carne que mencionei acaba valendo muito mais a pena do que o lanchinho pobre em nutrientes e rico em açúcares.

O mais importante, em qualquer estratégia alimentar, é focar na qualidade nutricional dos alimentos, e não só nas calorias.

E isso nos leva ao sabotador de número 2.

2) Ter medo das gorduras

Existe, de fato, um medo generalizado das gorduras, e eu te garanto que este é um dos maiores mitos da medicina, que colocam as pessoas justamente no caminho oposto da verdadeira saúde.

Mas quando vamos atrás das evidências e explicações científicas, a acusação não se sustenta.

Vou te dar um exemplo extremamente atual, de um ingrediente que, há não muito tempo, era acusado de causar infarto e engordar: o óleo de coco.

Um estudo da Oxford Brookes University, publicado no periódico Physiology & Behaviour, provou justamente o contrário.

Os cientistas observaram que as pessoas que tomavam duas colheres de sopa de óleo de coco como parte do café da manhã acabavam comendo menos comida no almoço.

Além disso, o uso do óleo de coco também auxiliou na redução significativa do peso corporal e da circunferência abdominal.

O que acontece quando você para de sentir medo das gorduras é muito simples: seu corpo começa a funcionar 100% melhor.

Estou falando de mais disposição, concentração, raciocínio…E, claro, perda de peso.

Quando limitamos a ingestão de carboidratos, nosso corpo passa a utilizar outra forma de combustível, por assim dizer, e começa a “queimar” a gordura estocada para produzir energia.

O resultado é que o peso da balança diminui e você atinge a sua melhor performance.

Por isso, perca o medo das gorduras, de uma vez por todas.

3) Pensar só em dieta

Talvez você me considere um pouco polêmico agora, mas a verdade é que o emagrecimento nunca deve ser o seu único e mais importante objetivo.

O que digo e repito para todos os meus pacientes, que já atendi ao longo de mais de 40 anos de carreira, é que emagrecimento é CONSEQUÊNCIA.

Então, quando modificamos nosso estilo de vida — e isso inclui alimentação, prática de exercícios, controle do estresse, sono — e melhoramos os marcadores de saúde, deixando para trás diabetes, doenças do coração, risco de Alzheimer e até câncer, a perda de peso também vem.

Por isso, tenho muita resistência em falar sobre a cetogênica como uma dieta, quando, na verdade, trata-se da melhor alimentação possível para os seres humanos.

Não é algo que devemos fazer para emagrecer em uma semana e, depois, retornar aos hábitos antigos, com açúcar e carboidratos à vontade.

Vai além do emagrecimento: é sobre viver no auge da sua forma física e mental, com qualidade, dignidade e independência.

Por hoje, te deixo com essa recomendação: seja feliz, coma gorduras e liberte-se da obsessão das dietas de baixa caloria.

Um grande abraço,

Dr. Naif Thadeu